Redes de rebatimento de transportes públicos

As redes de rebatimento de transporte público consistem nos vários modos, privados ou públicos, utilizados para chegar aos interfaces de transportes públicos. Como exemplos incluem-se meios não-convencionais de transporte público (como por exemplo táxi-bus ou serviços de autocarro por chamada), carpooling, uso de bicicleta e deslocações a pé. A "primeira milha" é um desafio importante na conceção de qualquer tipo de rede de transportes, e isso é especialmente verdadeiro em áreas rurais pouco povoadas. Devido aos reduzidos volumes de passageiros e à necessidade de cobrir grandes áreas geográficas, é muito difícil oferecer uma alternativa atraente e custo-eficaz de transporte público face ao automóvel particular. Durante a última década, o problema foi agravado pelas mudanças demográficas, como a migração urbana e o envelhecimento das populações, níveis elevados de utilização do automóvel particular, e desinvestimento nos serviços públicos.

As redes de rebatimento de transportes públicos são uma tentativa de enfrentar este desafio. A ideia consiste em fornecer serviços regulares de transporte público ao longo de rotas dedicadas, e organizar em pequena escala serviços de mobilidade baseados na procura para transportar os passageiros até à interface de transportes mais próxima. Em muitas áreas rurais da Europa estes serviços já existem – e o projeto SmartMove irá promovê-los através de campanhas de consultoria ativa em mobilidade. Além de atrair novos passageiros para os sistemas de rebatimento já existentes, essas campanhas recolhem feedback dos passageiros existentes, de forma a melhorar o serviço.

Para saber mais sobre redes de rebatimento de transportes público em zonas rurais, por favor selecione a partir do menu do lado direito.

Créditos da foto: BKK